Berlim por bairros: e porque todo berlinense é bairrista

Em Berlim as pessoas são muito apegadas aos seus bairros. Um berlinense em geral é capaz de passar meses sem sair do seu kiez (quebrada) e de defendê-lo como se fosse parte da família. É normal a competição entre bairros virar motivo de discussões acaloradas em festas, onde cada um tenta defender o próprio.“Kreuzberg!”, grita um. “Não, Friedrichshain!”, grita outro.

Estou exagerando. Mas nem tanto.

Em Berlim um bairro é completamente diferente do outro. E antes tinha o muro, lembra? Então, quem nasceu no lado ocidental passou a vida toda indo para a noite alternativa de kreuzberg (oeste) e demora para ser convencido de que existe muita diversão ali do outro lado da ponte, em Friedrichshain (leste).

Os bairros são pequenas cidades. Alguns têm até prefeito próprio, outros formam distrito com outros. Existe bairro alternativo, bairro careta, bairro burguês (tem quem ache que esses últimos não existem em Berlim, mas é mentira).

Isso pode causar confusão para quem vem aqui pela primeira vez. Vai que você sempre ouviu falar da Berlim alternativa e quer ir a shows em prédios ocupados mas pega uma dica errada e vai parar em um bairro burguês?

Aconteceu com uma amiga. Veio sozinha, ficou em uma parte super turística (que é legal, mas assim, toda parte turística de toda cidade se parece, né?).  E me escreveu indignada: “O que você viu nessa cidade?” Falei para ela pegar um metró e ir para o Hackerchermaket. Hacker o que? Calma. Te ajudo abaixo.

Mitte

mitte

O Mitte é gigante e pode ser dividido em dois. O primeiro é turístico e europa antiga. Fica nesse bairro a parte mais turística como a Postdamer Platz, o Check Point Charlie, a Friedriestrasse. com seu ar imponente e suas lojas finas, a Ilha dos Museus. É bonito, chique. Tem muita coisa interessante para ser vista. Mas na verdade parece com qualquer outro bairro turístico da Europa.
A segunda é menos turística e nada óbvia! O Hackchemarket mantém um ar descolado e alternativo e artístico até hoje. Fica na estação Rosa Luxemburgo e Rosenthaler Strasse e adjacências. Atenção para a Auguststrasse, a rua com mais galerias de arte de Berlim. É o melhor lugar para fazer compras a pé, em lojinhas e seus Holfs.

Alaxanderplatz

alexa
É no Mitte (não falei que era enorme?). A praça é o simbolo máximo da alemanha comunista. Aí fica a Torre de TV, a Prefeitura Vermelha, a estátua do Karl Marx e do Engels.  A Alexanderplatz é feia. Mas é um feio bonito. Parece que quem pensou imaginou um filme dos Jetsons. Deu certo.

Friedrichshain

friedrishain
Sou suspeita porque é o meu bairro. Mas Friedrischain é maravilhoso. O bairro fica ao lado das imponentes avenidas Karl Marx Alle e Frankfurt Alle, com seus prédios de arquitetura pesada, construídos na época do comunismo.

Nas ruazinhas do bairro, cafés, brechós, lojas legais, e punks que ainda sobrevivem por lá. Uma das atrações dos bairros são os grafites. Praticamente tudo é grafitado. Apesar de ainda ser alternativo, é um bairro cada dia mais gentrificado, com os preços dos aluguéis subindo muito. Mas ainda existe resistência! Os prédios ocupados continuam ali e em guerra com a polícia lutando para não sair. Assim como os punks, os clubes, os bares antifascistas e os meninos de moicano na porta do supermercado. Atenção, clubbers, é nesse bairro que fica o Berghain!

Kreuzberg

kreuzberg
Tradicinal bairro alternativo da Berlim ocidental. Resiste e continua sendo alternativo até hoje. As pessoas andam na rua com a roupa que bem querem. Existem varios brechós, cafés e bares ótimos. E também clubes de responsa, como o SO36, o clube punk mais tradicional de Berlim. Kreuzberg é o bairro turco da cidade e os punks, os gays e esquisitos em geral  convivem pacificamente com os imigrantes. Como em toda Berlim, lojas mais “chiques” provocam uma enorme gentrificação do bairro, que agora tem tambem várias startups. Mas kreuzberg sempre será Kreuzberg (um lugar do caralho).

Prenzlauerberg

prenzlauerberg.JPG
Também conhecido como o bairro com o maior índice de natalidade da Alemanha. Era a zona boémia e artística do leste. Depois da queda do muro, virou cena alternativa Até que a gentrificação veio com tudo. Prenzlauerberg hoje é um bairro onde moram muitas familias com filhos pequenos. É sofisticado. Meio caro. E cheio de cafés legais, lojas bio, cafés para crianças (sim, isso existe e é incrível), restaurantes ótimos, a feira de sábado a Kolwitzplatz com a melhor batata frita de Berlim. E uma gente linda andando pelas ruas.

Kuddam

kuddam
Era o centro da Berlim do oeste. É onde fica a Igreja Kaiser Wilhelm Memorial (que teve parte da torre destruída na guerra e continua assim para que não se esqueça), o Zoo. Era por ali que a Cristiane F andava. A loja mais europa antiga e glamourosa de Berlim, a KDV, também fica lá. Nos ultimos tempos, foi tomada por grifes. É a rua com mais grifes por metro quadrado de Berlim. Tem Chanel. Burberry, tudo.

Neukolln

neukolln
Até o inicio dos anos 2000, era uma espécie de Bronx de Berlim. Fica ao lado de kreuzberg e algumas partes do bairro ficavam bem coladas ao muro. Com a gentrificação (ela de novo), Neukolln virou o bairro cool de Berlim. Muitos, muitos estrangeiros moram lé. E muitos hipsters também. Cafés, lojinhas, antiquários e tudo o que acompanha essa turma, claro, você encontra em Neukolln. Sim, o lado Bronx também continua, com uma grande população turca e ótima mistura.

1 comentário Adicione o seu

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s