Um longo e frio inverno

No verão a gente esquece que ele virá. Estamos tão preocupados saindo de short e andando de bicicleta 10h da noite que entramos em uma espécie de realidade paralela, achando que a nossa vida é assim. A capacidade do ser humano de se enganar é incrível. No fim de setembro, se está sol, passamos a achar que esse ano vai ser diferente. Melhor nem pensar que “aquilo” pode acontecer.

“Aquilo” significa o outono-inverno. Uma coleção de tons sombrios e atmosfera dark. E “aquilo” sempre chega. Escrevo 10h da manhã. Está tão cinza, frio, chuvoso e silencioso lá fora que sou capaz de entender porque o Morrissey fez todas aquelas músicas dos Smiths. E se você tem dúvidas de porque só é possível filosofar em alemão aqui está a resposta: é por causa desses cinco meses de escuridão, chuva, neve e a melancolia do tamanho do mundo que eles trazem.

Meu telefone avisa que não vai melhorar: uma semana de chuva. Em alguns dias, entra o horário de inverno, uma coisa pavorosa. Nunca entendi porque fazem isso. Só pode ser para torturar as pessoas, ou que para a filosofia continue sendo escrita.  O relógio vai ser adiantado em uma hora, o que significa que vai ficar noite quatro horas da tarde.

E quando isso vai acabar? Tolinhos, isso não vai acabar nunca mais! Quer dizer, vai acabar, um dia. No fim de março. Estamos no começo de outubro. Outubro!!!! Na Alemanha, passamos cinco meses usando duas calças e vendo ficar noite quatro da tarde. Como sobrevivemos? Não sei. Mas a maioria consegue.

O frio. O frio não é um problema assim tão grande. Sim, algum dia vai fazer tipo -10. Mas isso é o de menos. No dia de muito frio a gente vai ficar em casa, sair com cinco camadas de roupa. E provavelmente vai ter nevado na véspera, vai estar tudo branco e o rio vai estar congelado (isso é sempre divertido, é sempre uma notícia, algo que aconteceu). O chato é a escuridão e esses dias cinzas que viram noite 4h da tarde.

Se você é turista, não se preocupe. Lidar com isso por algumas semanas não é problema algum. A gente até curte. O problema é aguentar a escuridão todos os anos. Talvez isso seja um teste. Quem aguenta dois invernos pode se considerar morador dessa cidade. Muitos piram no meio e voltam para casa.

O medo de pirar.  Talvez seja esse o principal fantasma do verão. Sempre ouvimos histórias de pessoas que deprimiram seriamente. De gente que parou de saber se era dia ou noite e já dormia. Medo.

Conselhos para não pirar: sair de casa todo dia mesmo se o dia estiver escuro e horroroso. Tomar banho todos os dias (o que não é fácil com -10). Ir na sauna de vez em quando ficar pelada. Tomar banho de banheira. E vitamina D. E B 12.

E lembrar que logo logo, depois de 5 meses, vai chegar a primavera e a gente vai esquecer que tudo isso aconteceu e não vai nem lembrar como sobreviveu. Dizem que as mães não lembram das dores do parto. A gente também não lembra dos 5 meses de escuridão. E por isso a gente fica.

PS. Vale sim como metáfora para a vida e para todos os períodos de escuridão. Inclusive esse agora do Brasil. Sei que aí está muito escuro apesar de estar fazendo sol.

2 comentários Adicione o seu

  1. ana claudia pinheiro disse:

    ler e fazer amor, dica de sobrevivência no inverno. e amar a neve, mesmo com toda lama, com toda fama

    Curtir

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s