Berlim e a arte de pegar e deixar “presentes” na rua

 

Na foto, um “armário” que estava no meio de um praça em Kreuberg hoje

A luminária que fica no meu quarto é linda. Ela é antiga, e ainda tem um lugar para colocar uns livros. Peguei na rua. Meu varal pequeno, bem do tamanho que eu precisava, peguei na escada, onde um vizinho tinha deixado.

Eu não virei ladra desde que mudei para Berlim. Eu pego na rua o que está lá para ser dado. Sim, um hábito de Berlim que eu amo é esse; a rua tem surpresas. Você vira uma esquina e tem um sofá. Na porta de uma papelaria, um cartaz avisa: “para presente” e varios fichários estão enfileirados.

Não se joga fora. Se dá.

Já deixei mais de uma vez uma bolsa com um monte de coisas na rua, tudo foi levado.

Alguns lugares, como bares de projetos de esquerda (sim, isso existe em Berlim e existe muito) têm armários e estantes onde você pode pegar as coisas. Na minha escola de alemão mehor do mundo (que também é um projeto de esquerda) também tem uma caixa para que você deixe e pegue coisas.

Na primeira vez que estive em Berlim, me deslumbrei com a primeira “loja de graça” que já vi na vida (e talvez uma das únicas que já existiu no mundo). A Free Shop, que fechou, ficava no Mitte e não, não era uma loja de troca. Era um projeto anti-consumo, onde você simplesmente entrava e pegava aquilo que precisava. Entrei e peguei uma blusa.

Sempre que acho algo legal na rua, ou mesmo quando apenas veio, sorrio como se aquilo fosse um presente de deus, um sinal do destino.

E me lembro de uma performance do artista (e querido) Mauricio Ianês, que passou 13 dias na Bienal de São Paulo vivendo só daquilo que recebia. Maurício chegou nu e ganhou de tudo, roupas, torta de palmito, cigarros.

Atenção, eu não estou falando que Berlim é uma cidade de pessoas bondosas. Inclusive porque não é. As pessoas aqui são conhecidas até na Alemanha como as mais grossas do mundo (eu ouvi, “nossa, que medo?”) mas esse compartilhamento está por todo lado, junto com os dizeres de que o capitalismo mata e quebra sua alma. E ali na esquina mesmo pode ter um presente esperando por você. Só porque sim. Porque você merece. Porque existe alguma gentileza no mundo.

1 comentário Adicione o seu

  1. allinclusived disse:

    Isso é bem interessante… mas acho que não funcionaria aqui…

    estou começando agora, e gostaria da sua opinião… caso goste da ideia.. é só seguir 🙂
    Obrigada 🙂
    https://allinclusivedblog.wordpress.com/

    Curtir

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s